Governo dos Açores já investiu cerca de 100 mil euros na área de suporte de vida com desfibrilhador automático externo

Governo dos Açores já investiu cerca de 100 mil euros na área de suporte de vida com desfibrilhador automático externo

O Secretário Regional da Saúde afirmou, no Corvo, que o Governo dos Açores, através do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros, investiu nos últimos três anos cerca de 100 mil euros na área do suporte básico de vida com desfibrilhadores automáticos externos, ao nível da formação e do investimento com os equipamentos.

Segundo o executivo regional, Luís Cabral entregou esta quinta-feira, dia 7 de abril, à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Corvo um Desfibrilhador Automático Externo (DAE), concluindo a dotação com estes equipamentos de todas as corporações de bombeiros e respetivas seções destacadas da Região.

“Com as ambulâncias de socorro dotadas de DAE e com profissionais formados, estamos a garantir um socorro de emergência e pré-hospitalar de qualidade a todos os Açorianos, com a certeza de que são feitos todos os possíveis para salvar vidas”, frisou Luís Cabral.

O responsável pela pasta da Proteção Civil salientou ainda que cerca de 90% dos operacionais da Região já têm formação na área de Suporte Básico de Vida com DAE, “o que se traduz num número muito significativo, mesmo a nível nacional”.

“Se, em 2013, cerca de 100 operacionais realizaram formação na área de SBV- DAE, em 2014 esse número aumentou para mais de 300, passando em 2015 para mais de 600 formandos”, acrescentou.

Só em formações nesta área, frisou Luís Cabral, o investimento desde 2014 até março de 2016 corresponde a mais de 36.500 euros, a que se juntam 57 mil euros investidos na aquisição de todo o equipamento distribuído pelas corporações de bombeiros do arquipélago.

“O Governo Regional investiu, ao todo, cerca de 100 mil euros na área de Suporte Básico de Vida com DAE”, afirmou.

Segundo Luís Cabral, estes dados são o reflexo da preocupação do Governo dos Açores com o bem-estar dos Açorianos, salientando que têm vindo a ser criadas “todas as condições para prestar uma resposta fidedigna e emergente sempre que necessário for”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*