Há governo a mais na sociedade civil

Jorge Rita Associação Agricola São Miguel Açores Jornal Diario da Lagoa-

O Presidente da Associação Agrícola de São Miguel recusou hoje de fazer parte da mesa do Conselho de Ilha com políticos que estejam a exercer cargos políticos atualmente.

Em declarações aos jornalistas, à margem do Conselho de ilha que reuniu esta quinta-feira, Jorge Rita considerou que, para que o Conselho de Ilha possa funcionar bem, tem de ser com pessoas que estejam fora da governação politica, recordando que Ricardo Rodrigues preside uma autarquia e acumula a presidência da AMISM, tendo sido essa a razão que o levou a declinar o convite que lhe foi endereçado para fazer parte da lista para a mesa do Conselho.

Segundo o Presidente da Associação Agrícola de São Miguel, o Conselho de ilha por vezes mais parece um complemento do que é a Assembleia Legislativa dos Açores, não estando disponível para discutir “vaidades políticas” que não tem interesse para São Miguel.

Após ter abandonado a reunião do Concelho de ilha, Jorge Rita considerou que ficou evidente “a tentativa estranha e de falta de seriedade do Partido Socialista com toda a movimentação que evidenciou, que merece uma reflexão séria”.

Segundo lembrou aos jornalistas “havia um ato eleitoral, onde apareceram duas listas, e depois que, como por razões estranhas, faz-se uma petição à mesa para adiar o ato eleitoral. Sabemos que o adiamanto teve a haver essencialmente com a falta de alguns membros do PS na sala, e mais grave, achávamos que a votação deveria ser secreta e não foi, sendo uma forma de coagir as pessoas no seu ato eleitoral”.

Duro nas suas criticas, Jorge Rita considerou que “para mim foi uma desilusão o PS. Esperava mais desta gente que já está no poder à tantos anos, que tivesse uma atitude mais democrática do que aquela que tem”.

Apesar de tudo Jorge Rita referiu ainda que continuará a dar o seu contributo ao Conselho de ilha. “Defenderei a minha terra com um contributo positivo em termos de trabalho, de dedicação, de amor e paixão em que não se pode comparar a nenhum dos políticos presentes neste concelho”.

O Presidente da Associação Agrícola de São Miguel manteve a sua postura crítica referindo que não irá apresentar a sua candidatura daqui a 15 dias. “Não estou para perder o meu tempo com pessoas que nada fazem da vida, a maior parte delas, que nunca fizeram nada da vida a não ser fazer política, dai haver a grande mediocridade política que arrasa todo o tecido empresarial e social”.

Nas suas declarações à saída deste Concelho de Ilha, Jorge Rita considerou que o seu contributo seria uma lufada de ar fresco, numa lista onde estavam representados todos os elementos da sociedade civil e que se vêem representadas na independência que se deve ser o Conselho de Ilha.

Jorge Rita considera mesmo que existe governo a mais em todas as situações finalizando dizendo que não está para aturar os políticos regionais.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*