BE insiste junto do Governo da República sobre radares meteorológicos nos Açores

radar meteorologico Açores  santa barbara

O Bloco de Esquerda quer que o Governo da República assuma para quando está prevista a instalação de radares meteorológicos nos Açores que permita a cobertura total do arquipélago, e que ações serão tomadas para reestabelecer o acesso ao único radar meteorológico que existe atualmente nos Açores, que pertence aos EUA, e que está fora de serviço.

Segundo uma nota enviada à nossa redação, os deputados do BE na Assembleia da República defendem que a Região Autónoma dos Açores não pode continuar na dependência do sucesso dos esforços da Força Aérea Portuguesa junto à Força Aérea Norte-Americana para manter o acesso à tecnologia de um radar meteorológico, tendo em conta a vulnerabilidade da Região aos fenómenos climatéricos extremos, e querem, assim, saber o que irá fazer o Governo de António Costa para que esta situação não se prolongue por mais tempo.

Tendo em conta que os Açores têm sido, ao longo da sua história, e recentemente, cenário de fenómenos meteorológicos extremos, com custos económicos e sociais graves, o BE considera fundamental garantir uma cobertura total, por radar meteorológico – a única tecnologia que permite a previsão a curto prazo para situações extremas, nomeadamente, condições severas de vento e precipitação – em todas as ilhas do arquipélago.

Neste sentido, o BE exige explicações sobre opção de instalar apenas um radar nos Açores, e particularmente pela escolha da ilha de São Miguel. O BE destaca a opinião de especialistas em climatologia, que consideram que o ideal seria a instalação de três radares meteorológicos – um em cada grupo de ilhas – uma vez que o raio de alcance destes equipamentos é limitado.

Os deputados do BE consideram que não é aceitável a opção pela instalação do radar meteorológico numa única ilha, porque é a mais populosa, apesar de se localizar no grupo oriental, o que poderá reduzir a sua zona de influência, ao ponto de não cobrir totalmente o arquipélago.

E, por isso, perguntam ao Governo da República se teria sido possível instalar o radar meteorológico numa outra ilha, cuja localização permitisse uma abrangência total do arquipélago, e, se tal não for possível, para quando está prevista a instalação de outros radares, de forma a tornar possível a cobertura total do arquipélago.

DL/BE

Categorias: Política

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*