Carta Regional de Obras Públicas transformou-se “na Carta Regional das Obras de Propaganda”

Grça Silveira CDS deputada Açores ALRA

A Vice-presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, Graça Silveira, classificou, esta quinta-feira, a Carta Regional de Obras Públicas (CROP) como “Carta Regional das Obras de Propaganda” acusando o Governo socialista de, dos 620 milhões de euros inicialmente previstos investir em 4 anos, apenas se ter concluído “pouco mais de 1%” das obras anunciadas.

Numa Declaração Política, no Parlamento dos Açores, Graça Silveira apontou as sucessivas falhas na concretização de um instrumento de planeamento que se pretendia estratégico, garantindo uma previsibilidade ao nível do investimento público e permitindo que as empresas do setor se organizassem a médio prazo, pudessem preparar-se para o futuro, fazendo parcerias, e permitindo que as pequenas empresas açorianas ganhassem escala para poderem assim candidatar-se às grandes obras públicas.

Depois, prosseguiu a parlamentar popular, a CROP teve “efeitos perversos” dando a conhecer, com antecedência, o preço base de todas as obras que constam na Carta Regional: “Se não vejamos, há obra do porto da Barra da Graciosa, anunciada com um preço base de 5,3 milhões de euros, concorreram apenas duas empresas, cujas propostas, pasme-se, apresentavam valores acima do preço base, ou seja, sabendo-se, à partida, que seriam excluídas, como se veio a verificar. O concurso ficou deserto e o Governo Regional foi obrigado a voltar a abrir concurso, só que desta vez com um preço base de 6,7 milhões de euros. Ou o Governo Regional cometeu um erro de cálculo do preço base, muitíssimo grosseiro (estamos a falar de um erro de 1,4 milhões de euros, numa obra de 6,7 milhões), ou as empresas de construção civil estão claramente a pressionar o Governo Regional a inflacionar o preço a que adjudica as obras, isto, se não quiser ficar novamente com o concurso deserto”.

Para o CDS “o setor da construção civil, assim, não consegue sobreviver por muito mais tempo. É urgente injetar dinheiro na economia Açoriana, e uma das formas de o fazer é o Governo Regional pagar às empresas, atempadamente, de forma honesta e sem subterfúgios”.

DL/CDS-PP

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*