“A politica tem de regressar aos seus valores base”

Rui Bettencurt projeto A Conversa Com Lagoa Açores-

Segundo Rui Bettencourt, antigo Diretor Regional do Emprego e Formação Profissional  nos Açores, a Politica tem que regressar aos seus valores de nobreza, aos valores que ao longo dos tempos tem vindo a perder.

“Houve intervenções infelizes na vida pública portuguesa e europeia que levou as pessoas a desacreditarem na política” referiu, acrescentando ser necessário retomar esse caminho para criar uma nova credibilidade.

Segundo Rui Bettencourt é necessário que os políticos deem também  exemplo e radiquem  a sua atuação aos valores da igualdade, liberdade, fraternidade, de verdade e de credibilidade.

Questionado pelo Jornal Diário da Lagoa sobre a situação política regional, Rui Bettencourt recorda que a região tem algo extraordinário, uma autonomia forte, que pode ser evidentemente melhorada, mas que permite uma grande proximidade entre os governantes e a população, sendo esta uma grande mais valia.

O antigo Diretor Regional do executivo açoriano não esquece as naturais dificuldades como região pequena e ultraperiférica, mas adianta que, passada esta primeira fase dos 40 anos de autonomia, em que muito foi feito em termos de infraestruturas, há um momento interessante de requalificação, para um futuro melhor, implicando todas as pessoas, para que estas se sintam membros da sua sociedade e não esperar que uns façam pelos outros.

Rui Bettencour falava à margem da primeira  de várias sessões de educação para a política e cidadania direcionadas ao público em geral, com especial destaque para alunos do ensino secundário, a decorrer na Casa da Cultura Carlos César, na Cidade de Lagoa, Açores.

Trata-se de uma iniciativa que visa despertar no público a consciência política e de cidadania e contribuir para quebrar o afastamento dos jovens da vida politica, combatendo a abstenção, atendendo que nas últimas Legislativas, nos Açores assistiu-se a uma taxa de 58.8% na abstenção.

Rui Bettencourt, partindo do mote “Participação na vida política: uma questão de cidadania, uma questão de modernidade”, explanou sobretudo sobre a pertinência do cidadão intervir nas medidas políticas.

Segundo este, o objetivo da sua palestra foi o de transmitir aos jovens uma certa esperança na ação pública.

Recordando John Kennedy, que dizia que “a politica é uma nobre aventura”, Rui Bettencourt adianta que tentou transmitir aos jovens, através de exemplos, o saber agir para o bem comum, com inovação, ideias, ousadia e acima de tudo como agir com seriedade, sendo ao fim ao cabo isto a politica.

“Espero que estes jovens, e claro que nem todos serão políticos certamente, mas que todos eles possam ter uma intervenção na vida publica da Lagoa e dos Açores”.

“Estes são jovens que nos próximos 40 anos é que vão moldar os Açores, o século XX. São eles que têm essa responsabilidade e esse privilégio”, referiu.

Ainda segundo Rui Bettencourt, para moldar os Açores, é preciso ter algum cuidado, alguma ousadia, mas é necessário ir em frente. “Devem colocar em prática o seu projeto de vida individual e coletivo, que é feito também um pouco do acaso, mas também com determinação de desejo”, disse.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*