Plano de Regeneração Urbana vai permitir uma série de novos investimentos

Alexandre Gaudencio camara Ribeira Grande Açores

O PIRUS – Plano Integrado de Regeneração Urbana Sustentável, é um documento elaborado pela Sociedade Portuguesa de Inovação para a Câmara de Ribeira Grande que “define e identifica áreas no concelho passíveis de regeneração”, referiu Alexandre Gaudêncio.

O presidente da autarquia presidiu à cerimónia pública de apresentação do documento que abrange “áreas e centros históricos, património cultural imóvel classificado ou em vias de classificação e respetivas zonas de proteção, áreas urbanas degradadas ou zonas urbanas consolidadas.”

Através do PIRUS – Plano Integrado de Regeneração Urbana Sustentável, pretende a Câmara de Ribeira Grande dar início à formalização das áreas de regeneração urbana da cidade e da vila de Rabo de Peixe, bem como delimitar territorialmente os seus limites e integração das diferentes áreas urbanas que compõem o território de intervenção.”

Do Plano Integrado de Reabilitação Urbana Sustentável “vão sair uma série de possíveis investimentos no que diz respeito a algumas áreas de reabilitação urbana, tanto públicos como privados, pois o grande objetivo é criamos incentivos para que estes possam fazer investimentos nas suas moradias ou espaços comerciais”, adiantou.

Os incentivos “podem ir desde a isenção de IMI à isenção de taxas de licenciamento” e a Câmara de Ribeira Grande terá uma “equipa de coordenação interna que aconselhará as pessoas do que podem usufruir”, explicou Alexandre Gaudêncio.

O PIRUS dá destaque a projetos “estruturantes para a cidade e para o concelho pois tivemos o cuidado de o estender até à orla marítima onde, por exemplo, se enquadra a reabilitação da zona do Monte Verde e a construção da ponte sobre a foz da ribeira”, acrescentou o presidente da autarquia.

Alexandre Gaudêncio vincou que este documento “vai dar um contributo muito importante ao nível do investimento público e privado”, referindo que “só na malha urbana da cidade estarão abrangidas cerca de novecentas moradias.”

Este é mais um documento de ação estratégica desenvolvido pela Câmara de Ribeira Grande, à semelhança dos já realizados –Plano Estratégico e Operacional de Desenvolvimento 2014-2020 e Plano Estratégico para o Turismo da Ribeira Grande 2015-2020 – que vão servir de orientação no que concerne ao desenvolvimento estrutural do concelho nos próximos anos.

DL/CMRG

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*