Isabel Rodrigues apela à participação dos jovens na vida da comunidade

Isabel Rodrigues governo Açores jovens mudança social-

A Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares fez, em Ponta Delgada, um “forte apelo à participação” dos jovens Açorianos na vida pública da comunidade.

“É essa participação que enriquece a vida da nossa Região e é através dessa participação que podem deixar o vosso contributo e fazer a diferença. Nós reconhecemos a juventude não como um destinatário da mudança, mas como um agente da mudança”, afirmou Isabel Rodrigues.

A Secretária Regional falava na sessão de abertura do colóquio internacional ‘Os jovens como atores da mudança social’, que decorre até sexta-feira na Universidade dos Açores, numa parceria entre o Governo Regional e o Observatório da Juventude dos Açores.

Na sua intervenção, Isabel Rodrigues assegurou que o Executivo “está atento aos fenómenos que dizem respeito à juventude açoriana” e tem tido a “responsabilidade de criar condições e disponibilizar instrumentos que ajudem à consolidação” do processo de desenvolvimento dos jovens e de construção da sua autonomia.

Nesse sentido, salientou que o trabalho desenvolvido pelo Governo Regional ocorre ao nível setorial, destacando que as políticas de educação, de acesso à habitação e os programas de emprego “desempenharam, neste anos de especial dificuldade, um papel importantíssimo no acesso a estágios e no apoio à integração de jovens nas empresas”.

Este trabalho, segundo Isabel Rodrigues, consiste ainda numa perspetiva mais dirigida à formação dos jovens, que se consubstancia, na prática, “no apoio ao associativismo, em programas de apoio muito intensivo à mobilidade” que, numa região ultraperiférica e arquipelágica como os Açores, “constitui, por si só, um enorme desafio”.

A Secretária Regional considerou que eventos como este colóquio internacional e o conjunto de trabalhos que o Observatório da Juventude dos Açores tem vindo a realizar, “constituem um recurso muito importante” para o Governo, “porque as políticas públicas têm de assentar num conhecimento da realidade e esse trabalho o Observatório tem feito, numa parceria que tem já alguns anos com o Governo dos Açores, e que tencionamos continuar a aprofundar”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*