JS propõe ocupação e requalificação dos desempregados

JS-reunião-AAUA-Guido-Teles

Os jovens socialistas açorianos defenderam esta terça-feira, à saída da reunião com a Associação Académica da Universidade dos Açores, a necessidade de se complementar os programas ocupacionais com uma vertente formativa que possibilite a especialização e a requalificação dos desempregados.

Segundo o Presidente da JS/Açores “uma das principais preocupações apontadas nesta reunião foi, de facto, a dificuldade dos estudantes da Universidade dos Açores encontrarem uma oferta laboral na Região na área da grande maioria dos cursos que são ministrados nesta academia.

Para responder a este problema, Guido Teles aponta a necessidade de medidas de carácter estrutural e conjuntural. “Por um lado, impõe-se uma reponderação das prioridades formativas da Universidade dos Açores, apostando nos cursos que mais perspetivas dão àqueles que são os seus únicos destinatários: os alunos. Mas por outro, temos que encontrar desde já uma solução que aumente a probabilidade de ingresso no mercado de trabalho dos jovens que já hoje frequentam os programas ocupacionais disponibilizados pelo Governo dos Açores.

Segundo o líder da JS-a, estes importantes programas de resposta conjuntural que permitem, e bem, proporcionar uma experiência em contexto de trabalho aos desempregados, devem na nossa perspetiva incluir também uma componente formativa que permita, através de parcerias com as diversas entidades com competência formadora na Região, a certificação de qualificações com a maior componente prática possível em áreas com maior capacidade de absorção no mercado laboral.

Na reunião realizada para assinalar o Dia do Estudante, comemorado na passada segunda-feira, foi também abordada a dificuldade das famílias em comportar os custos com a frequência de cursos superiores pelos estudantes açorianos. Sobre esta matéria, Guido Teles sublinhou a importância das medidas que têm sido disponibilizadas pelo Governo dos Açores e por várias autarquias locais, “iniciativas como o Programa Especial de Apoio ao Pagamento de Propinas aprovado pelo Governo dos Açores ou como os apoios à frequência de cursos pós-secundários ou superiores aprovadas por várias Câmaras Municipais, como a da Horta ou a de Angra do Heroísmo, são essenciais para mitigar os efeitos que a austeridade da República tem tido sobre a classe média açoriana”.

DL/JS-A

Categorias: Política

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*