Secretário Regional da Educação e Cultura realça abaixamento significativo das taxas de retenção

conselho coordenador sistema educativo encontro Açores

O Secretário Regional da Educação e Cultura considerou, em Ponta Delgada, como “importante e positivo” a verificação do “abaixamento significativo” das taxas de retenção no Sistema Educativo Regional, sobretudo ao nível do 1.º Ciclo.

Avelino Meneses, que falava à margem das reuniões do Conselho Coordenador do Sistema Educativo e da Comissão Permanente das Unidades Orgânicas do Ensino Público, frisou que esse abaixamento no primeiro ciclo de ensino “é de cerca de 50%”, acrescentando que também se registou no 2.º e no 3.º ciclo e no Secundário, embora “de uma forma menos acentuada, mas sustentada”.

Para o Secretário Regional da Educação e Cultura, essas diminuições decorrem não só “naturalmente das alterações que foram introduzidas ao nível das regras da avaliação no ensino básico”, mas “sobretudo de medidas que estavam a ser pensadas para constituir o ProSucesso e que começaram a ser implementadas no ano passado”.

A existência de mais estes docentes no sistema regional significa, adiantou o Secretário Regional, que “há, naturalmente, mais acompanhamento e, havendo mais acompanhamento, há maior possibilidade de fazer a prevenção de atrasos em idades mais tenras”.

O titular da pasta da Educação salientou, no entanto, que “não podemos, de forma alguma, embandeirar em arco”, frisando que “nas coisas da educação, tudo ocorre com demasiada lentidão”.

O ProSucesso, programa açoriano de promoção do sucesso escolar, “é um programa para 10 anos e só poderá ser avaliado a prazo”, realçou.

Este Conselho de Avaliação, que ainda não está devidamente constituído, será dirigido por Jorge Lima, docente na Universidade dos Açores, adiantou o Secretário Regional da Educação e Cultura.

Nas reuniões que decorreram hoje na Escola Secundária Domingos Rebelo e que contaram com a presença de cerca de setenta representantes das escolas públicas e profissionais, das escolas particulares, solidárias e cooperativas e dos sindicatos dos professores, foi aceite que, a partir de agora, no ensino secundário, as faltas imprevistas dos docentes “não sejam obrigatoriamente substituídas”.

Os alunos, ao nível do secundário, detentores de outra maturidade, devem assumir responsavelmente o controlo e a gestão desses tempos, dos denominados “furos”, referiu Avelino Meneses.

Por outro lado, o Secretário Regional da Educação e Cultura adiantou que, dentro de pouco tempo, será implementada uma formação destinada às lideranças escolares, de modo a familiarizar, nomeadamente os membros dos conselhos executivos, “com novos modelos de gestão e com novas estratégias de promoção do sucesso escolar”.

Esta formação, que será dirigida por Roberto Carneiro, antigo Ministro da Educação e membro do Conselho Científico do ProSucesso, será realizada em parceria com a Microsoft e a Universidade Católica.

DL/Gacs

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*