Secundária de Lagoa mantém aposta na formação de bons alunos

Alexandre Oliveira Escola Secundaria LAgoa Açores Jornal DIário da Lagoa

A Escola Secundária de Lagoa avançou este ano letivo com o estudo de proximidade, a funcionar na Biblioteca Municipal Tomaz de Borba Vieira, e que será estendido à Junta de Freguesia do Rosário ainda no decorrer deste primeiro período.

Ao nível da oferta curricular a escola apresenta duas novidades: um Curso Vocacional que se encontra a funcionar no CDIJ-TREVO em Água de Pau e que conta com vinte alunos que fazem a formação vocacional na Área da Eletromecânica, da Cozinha e de Cabeleireiro, tendo iniciado também este ano o Curso Profissional de Técnico Gestão do Ambiente, que veio reforçar a oferta ao nível do Ensino Profissional.

O Jornal Diário da Lagoa esteve à conversa com Alexandre Oliveira, presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária de Lagoa que falou sobre as novidades para este ano letivo, entre outros assuntos.

Diário da Lagoa – Que expetativas a ESL tem para o novo ano letivo e quais os desafios que se colocam para o mesmo?

Alexandre Oliveira: As nossas expectativas para este ano letivo são sobretudo que seja mais um ano que esteja à altura dos objetivos dos nossos alunos. Ser mais uma etapa de crescimento cumprida com sucesso onde cada um consiga experienciar situações de aprendizagem que possibilitem crescimento.

Quando começa um ano letivo, e ao longo do mesmo, lidamos com vários grupos, tantos quantos aqueles que compõem a comunidade educativa. Em cada um deles as expectativas e preocupações são naturalmente diferentes: Alunos, Encarregados de Educação, Professores, Assistentes Técnicos e Operacionais, Autarquia, enfim todos quantos gravitam em torno desta realidade ESCOLA têm como preocupação fundamental obter sucesso no final do ano letivo e que este percurso seja realizado com boas condições de trabalho, em segurança, num ambiente humano saudável.

Em cada ano letivo, o Conselho Executivo da Escola Secundária de Lagoa comunga também de todas estas preocupações e tenta fazer com que cada dia seja mais uma etapa cumprida num percurso que se quer percorrido com êxito.

O presente ano letivo começa sob o desígnio do Plano ProSucesso e cumprir com os seus objetivos é um dos desafios maiores da nossa comunidade educativa. Digo comunidade educativa porque este não é um objetivo que interesse apenas ao conselho executivo. Todos somos responsáveis pela sua execução na medida em que falamos de conjunto de ações a desenvolver que envolvem todos quantos referi anteriormente. Não podemos dizer que em anos anteriores não se trabalhava para o sucesso, mas neste ano letivo, e tendo em conta as elevadas taxas de insucesso que se verificam, foi imperioso trabalhar objetivamente nesta direção.

Diário da Lagoa – Depreendo então que para este ano letivo vamos ter algumas novidades.

Alexandre Oliveira – Podemos dizer que sim. Desde logo é importante saber-se que a primeira novidade prende-se com a preparação do próprio ano letivo. Na verdade, durante o terceiro período do ano letivo anterior fizeram-se algumas reuniões onde se sentaram à mesma mesa as escolas do concelho, a autarquia e a tutela com vista à preparação conjunta de um plano de intervenção educativo alargado. A Câmara Municipal de Lagoa lançou este desafio às escolas do concelho porque também está preocupada com os resultados e também acredita que só um trabalho conjunto entre as diversas entidades poderá possibilitar a diferença.

Posso dizer que pela primeira vez, e no decorrer desta ação, a equipa de constituição de turmas do 7º ano de escolaridade reuniu com os Diretores das turmas de 6º Ano da EBI Padre João José do Amaral para que se passasse informação relevante, possibilitando a constituição de turmas o mais funcionais possível. Penso que esta foi uma ação de extrema importância na medida em que se aproveitou o conhecimento anterior dos alunos e das turmas com vista à constituição de novos grupos, que se pretende funcionais, com os quais se pode desenvolver um trabalho profícuo.

Ainda no decorrer desta ação conjunta inter-escolas, e tendo em conta que todas se encontram em processo de revisão dos seus Regulamentos Internos bem como de outros documentos orientadores, ficou definido que se procederá à definição de algumas partes em comum para que não haja diferenças de atuação em muitos dos aspetos comuns da vivência escolar.

Continuando a falar de novidades, temos, por exemplo, previstas diversas atividades dirigidas aos encarregados de educação, desde formação, colóquios e dinâmicas em meio escolar para as quais eles vão ser convidados. Pretende-se que os encarregados de educação se envolvam efetivamente no acompanhamento dos seus educandos conhecendo devidamente o trabalho que está a ser feito. Vão ser convidados a conhecer o grupo turma, a ver alguns dos conteúdos que já forma tratados e, lá para o fim do ano letivo, ver muitos dos trabalhos que os seus educandos fizeram.

Outra experiência que se pretende implementar neste ano letivo é a constituição do Conselho de Delegados de Turma. Pretende-se valorizar e responsabilizar o representante de cada turma por forma a envolver-se de forma efetiva todos os alunos, por exemplo, na revisão do Regulamento Interno.

No presente ano letivo o 7º Ano de escolaridade conta com a oferta de dois tempos por semana para a realização de atividades lúdicas de desenvolvimento cognitivo.

Outra novidade é a implementação da sala de estudo de proximidade que já se encontra a funcionar na Biblioteca Municipal Tomaz de Borba Vieira, às quartas-feiras, a partir das 14h30 e que contamos estender à Junta de Freguesia do Rosário ainda no decorrer deste primeiro período.

Ao nível da oferta curricular temos duas novidades: abrimos um Curso Vocacional que se encontra a funcionar no CDIJ-TREVO em Água de Pau e que conta com vinte alunos que fazem a formação vocacional na Área da Eletromecânica, da Cozinha e de Cabeleireiro. Refira-se que esta parceria com a Casa do Povo de Água de Pau já funciona desde o ano letivo passado, mas este ano foi reforçada. Iniciou-se também este ano o Curso Profissional de Técnico Gestão do Ambiente, que veio reforçar a oferta ao nível do Ensino Profissional. Refira-se que no presente ano letivo estamos com o Ensino Secundário repartido entre os Cursos Científico-Humanísticos e Profissionais na ordem dos cinquenta por cento. Para além destes matemos a oferta curricular do ano anterior.

Diário da Lagoa – A ESL costuma envolver-se noutros projetos. Sabemos o quanto eles representam para a formação, para o desenvolvimento de cada aluno. Este ano também vai ser assim?

Alexandre Oliveira – Numa palavra, sim! Estamos ainda a concluir o nosso Plano Anual de Atividades, mas posso dizer que vamos, novamente, ter um ano bastante preenchido. Para além de alguns projetos anuais, este ano encontra-se em desenvolvimento um intercâmbio com uma escola da Suécia ao nível do ensino secundário onde se vão trabalhar áreas como a Biologia e as Ciências Humanas. Encontra-se também em fase de projeto outro intercâmbio de matriz cultural com uma escola do norte de Portugal e que provavelmente vai trazer alguma animação ao concelho.

Diário da Lagoa – Decorrido que está quase um mês de atividade, qual é o balanço que faz destes primeiros dias?

Alexandre Oliveira – Neste momento podemos dizer que o balanço é positivo. Recebemos os alunos, Conselho Executivo e Diretores de Turma, à semelhança de anos anteriores em sessões onde se esclareceram as regras de comportamento e onde se mostrou o que é estar na Escola Secundária de Lagoa, convidando todos os alunos a aproveitar as condições físicas e humanas que a escola oferece para alcançarem sucesso em mais uma etapa do seu percurso formativo. As aulas, os apoios educativos, a sala de estudo, tudo se encontra a funcionar com normalidade.

Diário da Lagoa – Antes de terminar, há alguma coisa que tenha ficado por dizer?

Alexandre Oliveira – Há sempre alguma coisa mais que pode sempre ser dita e acredito que não faltará oportunidade. Mas, já agora, gostava só de reafirmar algo que temos dito e que nestas primeiras semanas de aulas já se confirmou. Assim, se é verdade que as solicitações que envolvem outras instituições do concelho são muitas, não menos verdade que existe um bom relacionamento com essas mesmas, como sejam a CPCJ de Lagoa, Instituto de Ação Social, a PSP e a própria autarquia. Foram várias as solicitações e sempre obtiveram resposta. Sabemos que nem sempre se resolvem alguns problemas, mas fica o registo da disponibilidade para intervir.

Entrevista publicada na Edição Impressa de novembro de 2015

Categorias: Educação, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*