Operário vence por 2-0 jogo da 7ª jornada

Pedro TAvares Operario golo Olvieira Hsopital 7jornada serie E campeonato nacional futebol

A equipa do Clube Operário Desportivo bateu, este sábado, o Oliveira do Hospital por 2-0, em jogo da 7ª jornada da Série E, do Campeonato Nacional de Seniores de futebol.

Os fabris foram mais eficazes conseguindo por duas vezes colocar a bola no fundo das redes da baliza adversária, num encontro em que as oportunidades claras de golo não foram muitas.

O primeiro golo da partida foi apontado por Pedro Tavares aos 17 minutos do encontro. Já o segundo surgiu apenas na segunda parte, por Nuno Moreira, quando decorriam 77 minutos da partida, e quando a equipa visitante já jogava com menos um jogador, fruto de uma expulsão por acumulação de amarelos.

A equipa da Lagoa com este resultado, sobe para sexto na tabela classificativa, agora com dez pontos.

No final do encontro, o treinador do Operário considerou que a vitória foi justa, tendo considerado uma vitória de trabalho, de querer e de humildade.

“Em algumas fases do jogo os meus jogadores deveriam ter controlado o encontro doutra forma, e acredito que se o Operário tivesse mais critério na posse de bola o resultado poderia ter sido mais dilatado”, considerou.

André Branquinho recordou que durante a semana a equipa trabalhou para vencer e esse é o objetivo semanal. “Não tenho ilusões mas sim trabalho diário, e esta é a matriz da equipa”.

Quanto às criticas do treinador adversário que considerou que era muito difícil vir jogar aos Açores, em que os árbitros eram condicionados, André Branquinho referiu que as equipas se são desfavorecidas apenas o são pela qualidade do Operário. “Sei que temos atingido patamares bons através da qualidade do nosso futebol, da competência dos atletas e tem sido esse o nosso lema e objetivo, e é bom que os outros treinadores também estejam  preocupados, porque a competência vê-se ao fim de semana, e  usar os árbitros para disfarçar algumas situações de insucesso, de certeza que não chegamos lá”.

Recorde-se que o treinador do Oliveira do Hospital considerou que o arbitro foi condicionado com algumas declarações proferidas ao longo da semana, na imprensa local. “Quem vem aqui jogar está sempre condicionado, e três elementos são sempre considerados por isso, e dentro do campo não pode haver dualidades de critérios”. O técnico considerou ainda a expulsão do seu jogador de surreal.

O técnico do Oliveira do Hospital reconheceu que o Operário entrou melhor no jogo, e depois na segunda parte, numa altura em que a sua equipa estava por cima do jogo, houve um expulsão, “que deu jeito”, segundo referiu.

Categorias: Desporto

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*