Conselho Regional de Cultura aponta para a necessidade do trabalho em rede

Avelino Menezes educação Açores Conselho regional

O Secretário Regional da Educação e Cultura sublinhou, em Ponta Delgada, que entre os membros do Conselho Regional de Cultura existe “um denominador comum” que se relaciona com “a necessidade do trabalho em rede”.

Em declarações aos jornalistas no decurso dos trabalhos da primeira reunião do Conselho Regional de Cultura, Avelino Meneses, que preside por inerência a este órgão consultivo criado em março último, adiantou que essa necessidade decorre “fundamentalmente da descontinuidade geográfica do nosso arquipélago”.

Daí decorre “a necessidade de criar uma rede regional de bibliotecas, uma rede regional de museus e igualmente de museus” que preserve e divulgue a informação que detêm e que congregue, também, uma outra “infinidade de instituições” , que não estão na direta dependência da Região, como as Câmaras Municipais, misericórdias e empresas privadas, referiu.

Nesta perspetiva, no respeito pelos privados que “têm uma autonomia própria que não queremos, de forma alguma, beliscar”, a Região quer criar digitalmente, para além do que já existe e se encontra em funcionamento, “uma rede para que se possa constituir um núcleo de informação central”, frisou Avelino Meneses.

Esta rede, que para além dos arquivos históricos deverá envolver os arquivos correntes, permitirá a qualquer utilizador onde que que se encontre saber o que existe nos Açores, independentemente dessa informação ser ou não de serviços ou organismos dependente do Governo, adiantou.

Ainda de acordo com o Secretário Regional da Educação e Cultura, a par da preocupação com a divulgação está igualmente a “preocupação” com a inventariação daquilo que existe, da sua digitalização, e na transferência para “outros suportes daquilo que existe, no sentido de preservar melhor os originais”.

Por outro lado, Avelino Meneses admitiu que o Conselho Regional de Cultura, que considerou “um areópago de eleição”, possa vir a debater “os procedimentos que se julgarem mais convenientes”, no sentido de minimizar os inconvenientes da sobreposição em datas coincidentes de eventos culturais.

O Conselho Regional de Cultura, além de Avelino Meneses e do Diretor Regional da Cultura, Nuno Lopes, é composto por Luís Meneses, representante dos museus regionais, João Santos, representante dos museus de ilha, Rute Gregório, representante das bibliotecas públicas e arquivos regionais, Milton Mendonça, representante da Associação dos Municípios da Região Autónoma dos Açores, António Alves, representante da Delegação Regional dos Açores da Associação Nacional de Freguesias, e Duarte Melo, em representação da Diocese de Angra.

Ana Paula Andrade, Machado Pires, Teodoro de Matos, Maduro Dias, João das Pedras Saramago, Álamo Oliveira, Manuel Bernardo Cabral, Maria dos Milagres Paz, Tomaz Vieira e Victor Rui Dores também integram este órgão consultivo do Governo dos Açores, na qualidade de personalidades convidadas que se distingam nas áreas de arquitetura, artes gráficas e visuais, literatura, música, artes performativas, comunicação social e ciência sociais e humanas.

O Conselho Regional de Cultura tem por objetivo emitir pareceres e recomendações sobre questões relativas à realização dos objetivos de política cultural na Região e propor medidas que julgue necessárias ao seu desenvolvimento, por sua iniciativa ou por solicitação do membro do Governo Regional ou da Direção Regional competentes em matéria de Cultura.

DL/Gacs

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*