Lagoa diferencia tarifas de resíduos nos cafés, snack bares, restaurantes e minimercados

Autarquia-Lagoa-protocolos-juntas-freguesia

A Câmara Municipal de Lagoa procedeu a ajustamentos nas tarifas referentes aos resíduos sólidos urbanos (RSU), para o ano de 2015.

Foi criado um novo tarifário, com uma descriminação que é feita por escalões para os estabelecimentos de bebidas e similares, em função da lotação, nomeadamente para cafés, snack bares e restaurantes, que anteriormente pagavam o mesmo valor, independentemente da lotação do espaço, sendo que, para os 2 escalões com lotação mais baixa as reduções nas tarifas serão de 25% e 15%, refere uma nota da autarquia.

Para os minimercados foi igualmente aplicado o mesmo critério, com a criação de 4 escalões em função da área comercial, cujas tarifas para os primeiros 3 escalões representam reduções de 35%, 25% e 15 % em relação à tarifa atual. Todas estas medidas foram tomadas de forma a tornar os tarifários mais justos e equitativos. Em relação às restantes tarifas foi aplicado um aumento de 2,5%, tendo em vista, a médio prazo, garantir a sustentabilidade deste serviço.

Segundo os dados apurados, durante o ano de 2014, foram depositadas em aterro em aterro 7.156 toneladas de resíduos sólidos urbanos recolhidos no concelho de Lagoa, dos quais 5.624 toneladas respeitantes a resíduos indiferenciados, 465 toneladas de recolha seletiva, de papel, embalagens e vidro e 1.066 toneladas de resíduos urbanos verdes.

Em 2014, os custos associados com a recolha e deposição de RSU em aterro foi de cerca de 480 mil euros, o que, inevitavelmente levou a autarquia a atualizar as tarifas, para além de que, os tarifários devem traduzir corretamente os custos de gestão dos serviços, junto dos utilizadores finais, considerando-se que os custos devem ser partilhados por todos, utilizando o princípio do poluidor-pagador.

DL/CML

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*