Exposição “A Grande Descoberta de Carlos Mota – GreatFinds” no Convento dos Franciscanos

Carlos-Mota-Exposição-convento-Franciscanos_Lagoa (2)

Com exposições na Bélgica, Itália, Espanha, Portugal, Canadá e EUA e Brasil, o artista plástico, Carlos Mota, inaugura a série de pinturas “Great Finds”, no Salão Nobre do Convento dos Franciscanos, na cidade de Lagoa, no próximo dia 17 de janeiro e estará patente até 28 de março de 2015. 

Trata-se de uma exposição que o artista imprime nas suas obras a visão particular da cidade de Ouro Preto, conciliando técnicas mistas de pintura e pigmentos característicos da Região dos Inconfidentes. Obra que integra uma série que foi escolhida para compor o acervo de obras de artes da Presidência da República do Brasil, refere uma nota da autarquia, hoje divulgada. 

A série composta por 19 telas, em grande formato e técnicas mistas de pintura, foi totalmente desenvolvida em Lisboa, a partir de uma residência artística de quase 3 meses empreendida por Carlos Mota na Cidade de Ouro Preto. O Artista coleciona em seu currículo exposições em países como Bélgica, Itália, Espanha, Portugal, Canadá, EUA e Brasil. O objetivo do artista foi capturar algo que fosse próprio da cidade, facto que o levou a realizar uma intensa investigação sobre os pigmentos naturais característicos da região. 

Neste processo de imersão criativa, o artista plástico conheceu, por meio de um amigo em comum, o Engenheiro Maurício de Barros, Prof. Dr. aposentado da Universidade Federal de Ouro Preto, da área de Gemologia e Ciências dos Minerais. Desconhecido da população ouro-pretana, Maurício de Barros– uma espécie de Da Vinci local, com cinco graduações distintas, mestrado no Japão e doutorado no Canadá – criou há anos técnicas para coleta in natura de pigmentos, envolvendo desde a pesquisa e análise de amostragem de solo, até a invenção de maquinaria própria para a coleta de material. O contato e orientação do Prof. Maurício de Barros permitiu que Carlos Mota desvendasse a verdadeira paleta de cores característica da região, formada pelo azul, verde-água e diferentes tons de ocres e gris. 

Ainda segundo a mesma nota, conciliando técnicas pessoais e pigmentos naturais, Mota imprime em suas obras uma visão particular de Ouro Preto, tendo como fonte de inspiração o próprio ato de contemplação da cidade, para além do óbvio, fundamentado em um olhar quase verticalizado. “Esta nova série configura, de fato, uma visão muito particular de Ouro Preto, com seus céus magníficos, pleno de cores, e suas calçadas, ricas em desenhos e formas, que nos remetem à lembrança de um outro tempo, quando por elas passavam escravos, reis, artistas e intelectuais que contribuíram para fazer da cidade, Patrimônio Cultural da Humanidade. É neste contexto que nasce a Série “Great Finds”, que representa um encontro, e ao mesmo tempo, um achado em terras brasileiras”, comenta Carlos Mota.

Antes mesmo da estreia de sua mais recente série, Carlos Mota foi agraciado com uma grande honraria. Uma das obras que integram “Great Finds” foi escolhida para compor o acervo artístico da Presidência da República do Brasil, permanentemente exposta no andar térreo do Palácio do Planalto, em Brasília/DF, Brasil. O artista é o primeiro português a possuir uma obra no acervo da Presidência da República e o primeiro estrangeiro a ter uma obra, exposta em área pública do Palácio do Planalto.

O projeto GREAT FINDS “terminou” com a publicação de um livro de material didático de Arte para o 6º ano do ensino fundamental do Brasil, da autoria de Emanuella Kalil e Franco Caldas Fuchs com edição de uma das grandes editoras do Brasil a Editora Positivo- ARTE E ICONOGRAFIA.

DL/CML

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*