Secretário Regional da Educação e Cultura aponta Daniel de Sá como “um exemplo maior de Açoriano”

Avelino-Menezes-premio-Daniel-Sa

O Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou, em Ponta Delgada, que o escritor Daniel de Sá é “um exemplo maior de Açoriano, um exemplo para todos nós”.

Avelino Meneses, que falava segunda-feira na cerimónia de atribuição do Prémio Humanidades Daniel de Sá, frisou que, “num arquipélago unido pelo mar, mas ainda dividido por umas poucas paredes, sejam das de pedra, de hortências ou simplesmente de incompreensões, ele, Daniel de Sá, era um verdadeiro escritor de todos nós”. 

O Governo dos Açores, com vista a galardoar, a cada biénio, uma obra inédita com temática dos Açores, escrita em português por autor nacional ou estrangeiro, nas categorias de literatura, linguística, história, sociologia, psicologia e antropologia, instituiu o Prémio Humanidades Daniel de Sá, no valor pecuniário de 12 mil euros. 

Nesta sua primeira edição, a que concorreram 23 trabalhos, o prémio distinguiu a obra “Mau Tempo e Má Sorte: Contos Pouco Exemplares”, da autoria de Leonor Sampaio da Silva, docente no Departamento de Línguas e Literatura Modernas da Universidade dos Açores, detentora de um percurso no ensaio e na crítica literária. 

O júri do prémio justificou a sua decisão, entre outras razões, pela “desenvoltura narrativa que os contos apresentam” e pela “qualidade enunciativa dos diálogos e da linguagem”, distinguindo também a “organicidade e coerência do conjunto”.

DL/Gacs

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*