Alerta! Na verdade, uma palavra tão pequena e com muito significado, uma palavra que exige respeito, a palavra que na qual me faz pensar. É realmente, um desafio concorrer a chefe de escuteiros, não pelo cargo mas sim, pelos tantos desafios e obstáculos que nos ensina a lutar, a dar valor, a crescer e a ser melhor como pessoa e como chefe.

O escutismo entrou na minha vida já à alguns anos, longos, memoráveis, difíceis e inesquecíveis. Conquistou primeiramente o coração do meu rebento, levando assim toda a família por este caminho. “O caminho para se conseguir a felicidade é fazendo as outras pessoas felizes.” Palavras sábias do nosso velhote, Baden Powell.

O Homem que criou, o exemplo que seguimos e devemos seguir, pois, ser escuteiro/chefe implica uma entrega a um trabalho voluntário muitas vezes correspondente a um trabalho a tempo inteiro sem descanso e sem recompensa, implica ajudar na criação de bons cidadãos e irmãos de todos os que estão ao nosso redor.

De várias noites sem dormir, ás gargalhadas do fogo de concelho, de todas as actividades com escuteiros de todo mundo, ás missas animadas pelo nosso agrupamento.

Levo tudo isto na minha mala guardado, levo este amor a todo lugar como quando estou de lenço ao pescoço. E é com muito orgulho que pertenço a este agrupamento, a esta segunda família.

Chefinha Natércia Aguiar
Agrupamento 1290 Stª Cruz – Lagoa
(Artigo publicado na edição impressa de maio de 2017)

Share